Bem-vindos ao meu cantinho!
Se precisarem de dicas, mandem e-mail para mim: julianade_carvalho2003@yahoo.com.br
É muito bom poder ajudar!
Bjs 1000

2013

É porque passamos por tantas coisas que chegar até aqui tem tanto valor par mim!
 
Sou muito abençoada por poder ver o sorriso de vocês todos os dias, meus amigos!
 
Por poder comemorar os 90 anos da minha vozinha... 
 
Por ver minha filha tão crescida e responsável! 
 
E por ter tanto AMOR! 
 
Obrigada 2013!
 

Aprendendo a rezar!

Não sei se todo mundo sente o mesmo mas acho que quanto mais a criança cresce mais cheia de receios e vergonha fica...
Como é gostoso lidar com os pequenininhos porque tudo o que a gente faz é lei, é verdade e eles copiam pois querem ser iguais.
Na minha comunidade, as crianças maiores tem dificuldade em louvar ao Senhor de braços levantados, de ajoelhar-se, de estender as suas mãos e até de fazer as suas orações espontâneas... Difícil viu!

Achei uma idéia genial para incentivarem as crianças a abrirem o coração e fazerem as suas orações espontâneas aqui.


Eles só precisam de um empurrãozinho pra começar... Está em Inglês, eu sei!!! Mas CALMA!!!
Segue o link com a versão em Português dessa fofura de idéia!

Paz e bem!

Se eu escrevesse um livro, seria chaaaaaato!

Se eu falasse das pessoas que já passaram na minha vida e simplesmente dispensaram o convívio comigo, nossa! vocês iriam até chorar por minha causa. #DRAMA
Mas a história hoje é outra, fico lendo o que escrevem no Facebook, sabe? Àqueles desabafos de dor, eu sinto muita tristeza quando leio.



Aí fico divagando em quanto tempo a gente perde com a desilusão de uma amizade e pior ainda, na maioria das vezes, de gente da própria família.
É triste demais!
Vamos combinar?
A gente só tem um caminho a ser seguido. Este caminho é único e verdadeiro. Este caminho é o único que nos garante a vida, que é ETERNA. Esse caminho tem um nome: JESUS!

Então, porque a gente ainda perde tempo acreditando em gente que é igual a gente? Se nem mesmo eu acredito em mim?

SANTA Semana Santa!

Vocês já pararam pra pensar em quanto a gente ainda continua crucificando Jesus? Quando vamos à missa sem vontade, quando pré-julgamos alguém, quando negamos ajuda a uma pessoa carente, quando maltratamos os animais. É como se continuássemos pregando os pregos nas mãos de Jesus e oferecendo-lhe vinagre ao invés de conforto.
Minha gente, todo esforço durante essa semana é válido se pensarmos em tudo o que o Senhor Jesus sofreu, e sofre até hoje, por nós!
Aliás, as crianças na catequese de ontem, ficaram impressionadas com todo o sofrimento de Jesus: pregos, coroa de espinho, lança, vinagre... Para uma pessoa que só fez o bem? Não é justo!
Então, para entrar nesse clima de Semana Santa, façamos um altarzinho em nossa casa e recordemos a Paixão de nosso Senhor.
Façamos jejum sim, de TV, de silêncio, de fofoca, porque de comida é fácil, e não O deixemos sozinho neste período.
VIVAMOS COM TODA FORÇA ESSE MOMENTO TÃO ESPECIAL!

Agora vamos ao passo-a-passo:
Preço: ZERO reais!
Material: Resto de madeira (até graveto serve), uma imagem impressa, durex e olha o que podemos ter em casa?

 
 

Mimo para o Domingo de Ramos!

Além de um monte de coisas legais pro próximo domingo na catequese, fiz um mimo fofo para os catequizandos, com certeza, com muito significado.

Usem sem moderação este lindo marca página!!!

 

Porque Deus só leva os bons e deixa os ruins aqui nos fazendo mal?

E vc acha que Deus quer gente ruim perto dele?
Ele preparou pra gente uma casa maravilhosa, e é pra sempre!
Os ruins que estão por aqui, eu me incluo nessa lista, temos ainda uma chance de acertar/melhorar/AMAR mais e, um dia, estar lá na morada preparada pelo Pai para os seus filhos muito amados.
Façamos a nossa parte, para estarmos na lista de favoritos e um dia nos encontrarmos com os nossos. Saudade sim, tristeza não!

E agora para ilustrar, vamos ler!

Mulher pessimista
Havia, certa vez, numa pequena cidade, uma senhora que era pessimista. Ela tinha dois filhos casados. Um fabricava sandálias e o outro fabricava guarda-chuvas. Quando fazia sol, ela pensava que ninguém ia comprar os guarda-chuvas e assim o filho e a família iam passar necessidade. Por isso reclamava.

Quando chovia, ela pensava no outro filho que fazia delicadas sandálias e que ninguém ia comprá-las, e assim ele e a família iam passar necessidade. Por isso lamentava contra a chuva.

Na verdade, ela devia ver as coisas do lado contrário: Quando o sol brilha, o filho que fabricava sandálias ia vender muito. Quando chove, também ela devia ficar contente porque o filho que fabricava guarda-chuvas ia vender bastante.

Os nossos inimigos sempre têm alguma qualidade, algo de bom. Precisamos ter olhos fracos para ver os defeitos do outros, e vista bem nítida para ver as suas qualidades.